quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Quando se vai.

Vou,
tá na hora.
5 minutos passam rápido
e todas as ruas já se fazem conhecidas de mim,
sabem de minha fala contida,
dos meus braços pendentes e
dessa leitura das pontas dos dedos
que não sossega;
esse ar braille.

Vou.
Já tinha decidido,
antes de me enroscar nos teus pêlos,
antes de desejar teu avesso.

Sem apelos.

Vou
sem
teu
último
acordo.

Acordo
decidida
à
vou ar.

Um comentário:

Verde disse...

tenemos burbujas en los ojos